Magna reitera plano de cortar 10 mil empregos da GM na Europa

Grupo canandense que adquiriu a fatia europeia da montadora norte-americana quer retomar lucros em 2015

Marcílio Souza, da Agência Estado,

14 de setembro de 2009 | 12h09

A fabricante de autopeças Magna International reiterou seu plano de cortar 10,5 mil empregos na Opel e Vauxhall, unidades da General Motors na Europa compradas pela Magna, disse o co-executivo-chefe do grupo canadense, Siegfried Wolf. Ele espera que essas operações voltarão a ter lucro em 2015.

 

Veja também:

linkUE promete ação contra protecionismo na venda da Opel

 

"Nossos planos não mudaram desde 31 de março", disse Wolf a jornalistas em Frankfurt antes da feira de automóveis que ocorrerá na cidade nesta semana.

 

Ele desmentiu as afirmações de que a Magna planeja investir 600 milhões de euros (US$ 876 milhões) em dinheiro do contribuinte alemão na Rússia.

 

A GM Europe emprega cerca de 50 mil pessoas no total; cerca de metade desse montante está na Alemanha.

 

Depois de negociações que se arrastaram por meses, o conselho de diretores da General Motors aprovou na semana passada a venda de uma fatia de 55% na Opel/Vauxhall à Magna, que fez uma oferta em conjunto com o banco russo OAO Sberbank e a montadora GAZ. A oferta da Magna derrotou a proposta concorrente do grupo investidor belga RHJ. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
MagnaGMOpeldemissões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.