Magro crescimento francês oferece pouco alívio para Sarkozy

A França arrancou um crescimento econômico de 0,2 por cento no último trimestre de 2011, evitando a recessão, mas com a estagnação do poder de compra dando ao presidente Nicolas Sarkozy pouco alívio antes da eleição presidencial do próximo mês.

REUTERS

28 de março de 2012 | 08h34

Confirmando estimativas preliminares, os dados do quarto trimestre da agência nacional de estatísticas INSEE mostraram nesta quarta-feira que a França atingiu crescimento de 1,7 por cento para todo o ano de 2011, e afastou a ameaça de uma recessão antes da eleição.

O gasto das famílias, tradicional motor de crescimento da economia francesa, focada no consumidor, subiu 0,2 por cento no quarto trimestre, ainda que o poder de compra tenha crescido apenas 0,1 por cento quando ajustado pela inflação.

(Reportagem de Leigh Thomas)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROFRANCAPIB*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.