André Dusek|Estadão
André Dusek|Estadão

Maia afirma que tentará votar Cadastro Positivo hoje

Engavetado há semanas, presidente da Câmara dos Deputados afirmou que vai tentar votar projeto que altera regras do cadastro positivo nesta terça-feira

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

24 Abril 2018 | 17h23

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou há pouco que vai colocar em votação no plenário da Casa nesta terça-feira uma medida provisória (MP) e que "tentará" acordo para votar o projeto que altera as regras do cadastro positivo ainda hoje. O parlamentar fluminense disse que também vai "tentar" votar requerimentos para tramitação em regime de urgência dos projetos que regulamentam distratos e o registro de duplicatas eletrônicas.

+ Projeto do cadastro positivo trava na Câmara

"Vamos votar medida provisória e vamos tentar caminhar para votar cadastro positivo hoje. Também vamos tentar votar urgência do projeto do distrato e da duplicata eletrônica, que são dois projetos que entendemos como muito importantes para ativar a economia e o crédito", declarou Maia em entrevista ao chegar à Casa no início da tarde, após uma série de reuniões pela manhã na residência oficial para tratar de projetos da área econômica. Ele não mencionou votação da urgência do projeto de autonomia do Banco Central.

+ Maia fecha acordo com Temer para garantir texto de cadastro positivo

O presidente da Câmara afirmou que a expectativa é receber ainda nesta semana anteprojeto elaborado por uma comissão de juristas que endurece punição a crimes de tráfico de drogas e armas. O colegiado é liderado pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). "A proposta vai avançar muito na punição ao crime organizado, na criação de uma estrutura para que a Justiça possa decidir de forma colegiada, para que não fique um responsável pelas decisões do crime organizado, o que gera, às vezes, muita preocupação, muitas ameaças", declarou.

Mais conteúdo sobre:
Rodrigo Maiacadastro positivo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.