Maia critica possível obstrução na votação dos royalties

O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), afirmou que pode impedir as votações de todas as medidas provisórias nas comissões especiais mistas caso o governo adote a estratégia de obstruir a votação do projeto que muda a distribuição dos royalties. O projeto está na pauta desta quarta-feira do plenário. "Há um boato de que o governo quer impedir a votação do projeto. Se for isso mesmo, é uma estratégia equivocada e não será votada mais nenhuma medida provisória antes do projeto dos royalties", disse Maia.

DENISE MADUEÑO, Agencia Estado

31 Outubro 2012 | 12h13

"Nós ficamos quase um ano do Senado até este momento para votar. O que não foi decidido neste ano, terá de ser decidido agora", argumentou. Maia afirmou que aposta no entendimento e ressaltou que o texto elaborado pelo deputado Carlos Zarattini (PT-SP) é mais equilibrado. O presidente da Câmara disse que há setores na Casa dispostos a radicalizar, propondo a votação de projeto anterior, mais prejudicial aos Estados produtores na divisão do bolo.

Maia pretende começar a votação na sessão de hoje. Segundo ele, o fato de 25 Estados, exceto Rio de Janeiro e Espírito Santo, e em torno de 450 deputados estarem dispostos a aprovar mudanças na distribuição dos royalties lhe dá a certeza de que a proposta será votada.

Mais conteúdo sobre:
petróleo royalties Maia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.