Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Maia diz que governo só vai eliminar Cide após Congresso votar reoneração

Maia afirmou que pode votar a matéria da reoneração na sessão desta quarta-feira, desde que incluindo um porcentual provisório de redução de PIS/Cofins no diesel

Julia Lindner, Lu Aiko e Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

23 Maio 2018 | 18h12

BRASÍLIA - Depois de dizer que esperava um posicionamento favorável sobre o fim da Cide-Combustível até o final desta quarta-feira, 23, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), recuou e, agora, diz que o governo já decidiu que só editará o decreto sobre o fim do tributo incidente sobre o diesel após o Congresso aprovar projeto que reonera a folha de pagamento de setores produtivos. 

+ AO VIVO: Siga a greve dos caminhoneiros pelo Brasil

Maia afirmou que pode votar a matéria da reoneração na sessão desta quarta-feira, desde que incluindo um porcentual provisório de redução de PIS/Cofins no diesel. Ele ponderou que, caso isso ocorra, será preciso encontrar outra fonte para cobrir a Cide.

+ WHATSAPP: como a paralisação dos caminhoneiros está afetando a sua vida?

Segundo o presidente da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), Diumar Bueno, o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) chegou a dizer durante reunião desta tarde com representantes dos caminhoneiros que o decreto seria editado ainda hoje. 

+ Perguntas e respostas sobre a manifestação dos caminhoneiros

Apesar disso, a categoria considerou a medida insuficiente, pois representaria uma redução de apenas cinco centavos no preço do combustível.

+ ACERVO: Caminhoneiros já pararam por frete, pedágio e segurança

Bueno e outros representantes de entidades deixaram o Planalto após a reunião com Padilha para se reunir com Maia. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.