André Dusek
André Dusek

Maia diz ‘torcer’ para que o BC corte mais os juros

Presidente em exercício não falou em porcentual, ressaltando que ‘não interfere’ nesse assunto; Copom decide juros nesta quarta-feira, 11

Tânia Monteiro, Vera Rosa, O Estado de S.Paulo

11 de janeiro de 2017 | 05h00

BRASÍLIA - O presidente em exercício, Rodrigo Maia, disse ao Estado que “torce” para que a taxa de juros seja reduzida na primeira reunião do Comitê de Política Monetária de 2017. Maia, no entanto, não falou em porcentuais, fazendo questão de ressaltar que “não interfere” nesse assunto e que “sempre defendeu a autonomia do Banco Central”.

“Tomara que baixe porque 9% de juros real não dá. É muito alto. Mas não me meto nisso”, comentou. “Espero que o Banco Central tenha condições técnicas para reduzir. A gente torce, mas não interfere.” O mercado aposta na redução da Selic em 0,5 ponto porcentual no encontro de hoje.

Não é só Maia que “torce” pela redução dos juros. O próprio presidente Michel Temer, que está em Portugal, citou ontem em discurso no Rio Grande do Sul preocupação com o tema. Em sua fala, que foi entendida como uma espécie de recado ao BC, Temer fez questão de destacar que seu governo baixou quatro pontos porcentuais da inflação em seis meses. “Portanto, a inflação foi controlada. Os juros começaram a cair, e é claro que eu não quero dar palpite nessa área, que é muito delicada, mas certa e seguramente, com a inflação caindo, naturalmente os juros vão caindo.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.