Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Maia pede a relator que apresente texto da reforma da Previdência antes do dia 15

O presidente da Câmara quer antecipar finalização do relatório para que o plenário da Casa consiga votar o texto em julho

Eduardo Rodrigues, Renato Onofre e Idiana Tomazelli, O Estado de S.Paulo

28 de maio de 2019 | 11h51
Atualizado 28 de maio de 2019 | 17h15

BRASÍLIA - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta terça-feira, 28, que vai pedir ao relator da reforma da Previdência, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), que apresente seu texto na Comissão Especial antes do dia 15 de junho. Maia afirmou que, "a princípio", levará as mudanças na Previdência ao plenário em julho.

"O tempo está ficando apertado e pedi ao relator que antecipe em uma semana ou cinco dias a leitura do texto. Esperamos chegar na economia que o ministro Paulo Guedes deseja para a Previdência", disse Maia ao deixar a sede do Ministério da Economia, onde se reuniu com Guedes, secretários e outros 13 parlamentares.

"A Previdência está andando.  Não votou ainda porque o governo preferiu encaminhar uma emenda constitucional e não a do presidente Temer. Ainda estamos nos prazos da Previdência. Ela vai votar no mesmo prazo que votaria a do Temer em 2017", disse o deputado.

Segundo Maia, o encontro serviu para tratar também de projetos urgentes para o País, além da Previdência. O principal deles, disse o presidente da Câmara, é a reforma do Estado. "Trouxe comigo um grupo de deputados de vários partidos para podermos organizar a votação de temas importantes para modernizar e melhorar a eficiência do Estado", acrescentou Maia.

O presidente da Câmara disse ainda que a reorganização da regra de ouro é prioridade devido ao grande engessamento do Orçamento federal. Maia adiantou que o governo e os parlamentares negociam emendas para tratar da cessão onerosa na tramitação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Orçamento impositivo

Relator

Samuel Moreira afirmou que vai conversar com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), sobre a "data mais adequada" para a apresentação do parecer sobre a proposta. Ele ressaltou que a declaração de Maia vai na direção do que ele mesmo já vinha indicando. "Não tem nada novo, sempre falei 'até' 15 de junho", disse.

Ele afirmou, porém, que o presidente da Câmara "tem peso" no processo de definição do calendário de tramitação da proposta. "Estou trabalhando intensamente no relatório", disse Moreira.

Para ele, a apresentação pode ser feita em qualquer dia após o fim das audiências e do prazo para a apresentação de emendas, o que ocorre em 30 de maio.

Antes da audiência pública que ocorre hoje, para debater a aposentadoria das mulheres, Moreira foi cobrado por parlamentares de oposição sobre a declaração de Maia. A deputada Alice Portugal (PcdoB-BA) disse que esperava estender os debates até julho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.