Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Maia quer quórum de 490 deputados para votar Previdência

Por se tratar de uma proposta de emenda à Constituição, a reforma precisa de, no mínimo, 308 votos a favor

Amanda Pupo, Rafael Moura e Mariana Haubert, O Estado de S.Paulo

09 de julho de 2019 | 13h40

Após sair da reunião de líderes, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), destacou a importância de se ter um quórum de 490 deputados para que se coloque em votação a reforma da Previdência no plenário. "Chegar a 490 (presenças de deputados) para poder votar, nosso problema é só quórum, chegando quórum a gente está pronto para votar a qualquer hora", disse Maia.

O presidente da Câmara dos Deputados já comentou anteriormente sobre a necessidade deste quórum qualificado para colocar a reforma em votação. Ontem, Maia disse em seu podcast esperar uma presença de mais de 490 deputados, dos 513, para não se correr riscos na hora da deliberação.

Por se tratar de uma proposta de emenda à Constituição, a reforma precisa de, no mínimo, 308 votos a favor e deverá ser aprovada em dois turnos para passar ao Senado.

Líder do governo no Congresso Nacional, a deputada Joice Hasselmann destacou há pouco que esse é quórum para "aprovar", acrescentado ainda que acredita que esse número será alcançado por volta de 18 horas.

"O que acontece, já estamos com a sessão aberta, já vamos fazer algumas votações agora, e os deputados vão chegando. A partir do meio tarde, começo da noite, a gente já tem o quórum completo para poder votar. Até lá não vai votar mesmo, até lá vai ser obstrução ou sessão de debate, mas a partir das 18 horas a gente já vai ter o quórum certamente", disse Joice.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.