Marcos Corrêa/PR
Marcos Corrêa/PR

Maia se compromete a instalar 'comissão do 1%' para ajudar municípios

A PEC, já aprovada no Senado, daria uma injeção adicional de R$ 5,2 bilhões anuais ao final de um período de transição

Julia Lindner e Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

09 de abril de 2019 | 14h11

Brasília - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta terça-feira, 9, que vai instalar a comissão que analisará a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que destina mais 1% das receitas obtidas com Imposto de Renda e IPI para o Fundo de Participação dos Municípios (FPM)

Com antecipou o Estado, a PEC, já aprovada no Senado, daria uma injeção adicional de R$ 5,2 bilhões anuais ao final de um período de transição. Maia falou sobre o assunto durante a abertura da Marcha dos Prefeitos, em Brasília. No mesmo evento, o presidente Jair Bolsonaro falou que recebeu "sinal verde" do ministro da Economia, Paulo Guedes, para majorar o FPM. 

Depois do presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Gladimir Aroldi, cobrar o Congresso, Maia falou que vai instalar a "comissão do 1%" e que está trabalhando com o "brilhante" ministro Guedes, mas pediu o apoio dos prefeitos para a aprovação da Reforma da Previdência

"Vamos instalar a comissão do 1%. Estamos trabalhando com o brilhante ministro Guedes sobre Lei Kandir, sobre cessão onerosa e tantos outros temas. Mas vim aqui pedir o apoio de vocês. A reforma da Previdência não é para o governo federal, estadual ou municípios, e sim para a gente mudar essa curva de recessão que prejudica a vida dos brasileiros." 

12ª Marcha dos Prefeitos 

Mais cedo, no evento, o democrata pediu empenho à aprovação da reforma da Previdência aos prefeitos que participam do encontro.

Maia fez um discurso empolgado e disse que a aprovação da emenda constitucional sobre a previdência social dará fôlego para que o Executivo e o Legislativo possam dar encaminhamento aos demais projetos demandados pelos municípios. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.