Wilton Junior|Estadão
Wilton Junior|Estadão

Maia vai incluir redução do PIS/Cofins para o diesel no projeto de reoneração da folha

Pré-candidato ao Planalto, Rodrigo Maia afirmou que o impacto para o caminhoneiro 'precisa ser maior que apenas zerar a Cide'

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

22 Maio 2018 | 22h43

Pré-candidato ao Palácio do Planalto, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciou no fim da noite desta terça-feira, 22, que vai incluir redução do PIS-Cofins sobre o diesel no projeto da reoneração da folha de pagamento.  Segundo ele, a proposta deve ser votada até a próxima terça-feira, 29 de maio. 

+ Maia e Eunício driblam equipe econômica para anunciar medidas para baratear diesel

"Na terça feira de manhã, a gente vai votar reoneração, incluindo redução do PIS-Cofins, pelo menos para o diesel. Vamos incluir o PIS-Cofins no texto da reoneração, porque entendemos que o impacto para o contribuinte, para o caminhoneiro, precisa ser maior que a apenas zerar a Cide-combustível", disse em entrevista ao deixar a Câmara, sem dar detalhes.

Maia, que se reuniu com o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, mais cedo, evitou dizer se o governo concorda com a medida do PIS-Cofins. "A reonerção é uma receita. O Congresso tem esse direito de dizer que essa receita vai até o final do ano, claro. Nós vamos reduzir o PIS-Cofins até o final do ano. A Cide zera. E o governo está tendo aumento de arrecadação", disse.

+ Governo condiciona corte de Cide à aprovação do projeto de reoneração da folha

O presidente da Câmara disse que, num momento de crise, o governo precisa entender que o ajuste fiscal e a redução do déficit nas contas públicas são importantes, "mas que a vida das pessoas também é importante". "Então, quando governo, às vezes, fica na dúvida de como atende na ponta a sociedade, o Congresso também tem que cumprir o seu papel", declarou.

+ Veja como foi o segundo dia de protesto dos caminhoneiros

Maia disse que quer ampliar as medidas de zerar a Cide e reduzir PIS-Cofins para a gasolina. "Queremos ampliar para gasolina, mas temos que fazer as contas antes para não errar. A gente não quer fazer nada de forma irresponsável", afirmou. Ele disse que gasolina e gás de cozinha deverão ser tratados junto com a medida provisória que extinguiu o fundo soberano. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.