Maior acionista da ThyssenKrupp nega saída de presidente do conselho

O presidente da maior acionista da ThyssenKrupp, Berthold Beitz, jogou água fria sobre as especulações de que o presidente do Conselho de Administração da siderúrgica alemã, Gerhard Cromme, pode ser forçado a renunciar, informou um jornal local.

Reuters

14 de dezembro de 2012 | 09h18

"Cromme fica. Cromme e (o presidente-executivo da Thyssen, Heinrich) Hiesinger formam um bom time", publicou o Handelsblatt, citando o patriarca de 99 anos que comanda a Alfried Krupp von Bohlen und Halbach Foundation.

Hiesinger eliminou metade do seu quadro executivo na semana passada, anunciando um novo começo após uma incursão mal orientada e imensamente cara nas Américas, acusações de corrupção e investigações de cartel.

A Alfried Krupp von Bohlen und Halbach Foundation, criada por Alfried Krupp, detém 25,3 por cento dos direitos a voto na ThyssenKrupp.

Cromme é visto como o mais provável sucessor de Beitz no comando da fundação.

(Por Maria Sheahan)

Tudo o que sabemos sobre:
SIDERURGIATHYSSENLEGAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.