Maior aposentadoria é reduzida pelo teto

Mesmo com a aplicação do fator previdenciário, a aposentadoria inicial de quem contribuiu pelo teto do recolhimento para a Previdência Social desde julho de 1994 deverá ficar menor que o limite atual de benefício de R$ 1.328,25. O principal motivo, segundo o atuário Newton César Conde, é que a média em agosto, sobre a qual o benefício será apurado, está elevada.Hoje, a renda inicial do segurado é calculada sobre a média de 80% dos maiores salários de contribuição registrados em seu nome desde julho de 1994. Sobre a média, aplica-se o fator previdenciário, que leva em conta o tempo de contribuição, idade, alíquota de recolhimento e expectativa de vida no momento da aposentadoria.Em agosto, para quem contribuiu pelo teto do recolhimento desde julho de 1994, a média será de R$ 1.377,94. Dependendo da idade do segurado, mesmo após a aplicação do fator previdenciário, a renda inicial pode ficar menor que o teto de benefício. Por exemplo, para quem tem 53 anos e 35 anos de contribuição, a renda inicial apurada será de R$ 1.332,08. Nesse caso, reduz-se o benefício para se enquadrar ao teto de R$ 1.328,25.Para Conde, no entanto, o fato de a média ficar elevada não é prejudicial ao contribuinte. "Ao contrário, o segurado tem o seu benefício apurado sobre um valor maior, o que é bom, por exemplo, para quem não tem a renda diminuída pelo teto." Em contrapartida, o teto de aposentadoria elimina a vantagem para quem deixa para entrar com o pedido de aposentadoria mais tarde, pensando em obter um benefício maior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.