Larry Dowing/Reuters-30/7/2010
Larry Dowing/Reuters-30/7/2010

Maior montadora chinesa estuda compra de fatia da GM

Saic Motor Corp. já sinalizou que pretende participar do IPO que a montadora americana deve fazer em novembro

, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2010 | 00h00

DETROIT

A maior fabricante de veículos da China, a Saic Motor Corp., estuda a compra de uma participação na General Motors quando a companhia americana voltar a abrir seu capital. A afirmação vem de fontes ouvidas pelo Wall Street Journal. A Saic fabrica carros com a GM na China desde os anos 1990.

A GM espera fazer seu IPO (oferta inicial de ações, na sigla em inglês) em novembro. A oferta de ações permitirá que o governo dos EUA comece a vender sua fatia de 61% na montadora. O tema da compra de ações da GM por investidores estrangeiros no IPO, porém, é espinhoso para o Tesouro americano. O governo teme ser criticado se uma companhia chinesa assumir uma participação num ícone industrial dos EUA que foi salvo com dinheiro dos contribuintes. O governo de Barack Obama está tentando evitar problemas políticos sem prejudicar a venda dos papéis com um afastamento de potenciais investidores.

Base sólida. Em comunicado na semana passada, o Tesouro informou que todos os investidores terão acesso às ações, num esforço para maximizar o preço dós papéis e criar uma base sólida de acionistas. O Tesouro também destacou que nenhum acionista vai adquirir individualmente uma participação dominante, afirmando que "nenhum investidor individual ou grupo de investidores receberá uma parcela desproporcional ou tratamento incomum".

A GM planeja começar a atrair investidores imediatamente depois das eleições de 2 de novembro nos EUA, com o objetivo de lançar a oferta antes do fim daquele mês. O executivo-chefe da GM, Dan Akerson, disse na semana passada que provavelmente levará anos para que o governo dos EUA se desfaça de toda a sua participação na montadora. / DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.