Maior navio do mundo economiza combustível e reduz poluição

Comprimento equivale a 12 baleias azuis enfileiradas e aço utilizado daria para fazer oito torres Eiffel

27 de junho de 2013 | 11h49

SÃO PAULO - Uma nova era no transporte de cargas está começando com a chegada aos oceanos do maior navio cargueiro do mundo. Ele tem 400 metros de comprimento, 59 metros de largura e 73 metros de altura.

A capacidade de carga chega a 165 mil toneladas. A altura equivale à de um prédio de 20 andares e o aço utilizado na sua construção seria suficiente para a construção de oito torres Eiffel. O comprimento do navio equivale a 12 baleias azuis adultas.

 

Navio tem altura de um prédio de 20 andares e transporta 18 mil contêineres (foto:EFE)

Mas, a grande diferença em relação aos demais não está só no tamanho. Ele chega para revolucionar o conceito de transportes, com ênfase em conceitos ambientalmente corretos.

A embarcação batizada de Triplo-E foi projetada para consumir menos combustível e emitir menos poluentes. O nome vem de energia, eficiência e proteção ambiental (energy, efficiency e environmental protection).

O navio tem espaço suficiente para 11% mais carga do que o maior navio de carga atual do mundo, o Marco Polo operado pela empresa francesa CMA CGM.

No navio cabem 18 mil contêineres, o que daria para transportar 111 milhões de pares de tênis. Se empilhados, os contêineres formariam uma pilha de 47 km de altura.

Para a Maersk, a empresa de navegação dinamarquesa que tem 20 outros navios de grande porte, o novo navio é um componente vital da estratégia para ampliar o comércio na rota entre Ásia e Europa.

Morten Engelstoft, presidente da Maersk, explicou à rede CNN que o Triple-E vai garantir economia de aproximadamente 20% em comparação ao navio mais eficiente da frota atual. Com isso, o navio ajuda a empresa a reduzir as emissões de carbono.

O combustível, segundo ele, é o maior despesa operacional da empresa, e deve chegar a US$ 6 bilhões este ano. A economia de combustível é a chave para tornar o transporte mais competitivo.

Pelo seu tamanho, o navio não pode navegar a mais de 42 quilômetros por hora. Para ir da Ásia à Europa ele vai viajar 23 dias.

 

O presidente da empresa disse à CNN que é difícil imaginar um navio ainda maior que o Triplo-E. "Do ponto de vista de infraestrutura, o Triple-E não pode atracar em muitos portos. Prolongar ainda mais o comprimento pode dificultar as manobras nos portos que são estratégicos. Vimos uma tendência de embarcações cada vez maiores e mais eficientes, mas por muito tempo será difícil aparecer um cargueiro maior que o nosso".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.