Nelson Andrade
Nelson Andrade

Maiores cidades do interior de SP reduzem frota de ônibus

Objetivo de empresas de Campinas, São José dos Campos e Sorocaba é evitar que falta total de combustível paralise o transporte

José Maria Tomazela e Rene Moreira, O Estado de S.Paulo

24 Maio 2018 | 09h14

SOROCABA - Empresas de transporte coletivo de Campinas, São José dos Campos e Sorocaba, três das maiores cidades do interior, reduziram a frota de ônibus em circulação, nesta quinta-feira, 24, para poupar combustível. As empresas estão com os estoques próprios baixos e já falta diesel nos postos das cidades em razão da greve dos caminhoneiros, que entrou no quarto dia. O objetivo é evitar que falta total de combustível paralise o transporte.

+ AO VIVO: Siga a greve dos caminhoneiros pelo Brasil

Em Campinas, Empresa Municipal de Desenvolvimento (Emdec) optou pela redução de 40% na frota para evitar a paralisação total do serviço por falta de combustível. Dos cerca de mil ônibus da frota operacional, 400 estão sendo poupados, principalmente nos horários de menos movimento. Desde a madrugada, há filas nos pontos de embarque. Empresas de transporte intermunicipal também reduziram o número de ônibus nas linhas.

+ Greve de caminhoneiros provoca falta de alimentos e combustível em SP e no Rio

Em São José dos Campos, a prefeitura informou que a frota será reduzida das 9 às 11 horas, das 14 às 16 e após as 20 horas. Na manhã desta quarta-feira (24), no entanto, usuários relatavam um intervalo maior entre os ônibus e filas extensas nos pontos de embarque. A prefeitura informou que as medidas podem ser alteradas a qualquer momento, em função de mudanças no quadro causado pela greve dos caminhoneiros.

Em Sorocaba, as empresas estão reduzindo a quantidade de ônibus em circulação das 8h30 às 16h30 e após as 19h. Nos principais corredores que ligam os bairros ao centro havia filas de passageiros na manhã desta quinta. Empresas de ônibus que operam linhas intermunicipais aumentaram o intervalo entre os horários para poupar combustível. Em Itapetininga, dois bairros da zona rural tiveram a suspensão das linhas e os moradores estão sem ônibus desde a tarde de quarta-feira (23).

+ WHATSAPP: como a paralisação dos caminhoneiros está afetando a sua vida?

As cidades de Ribeirão Preto e Franca também reduziram a frota de ônibus em circulação devido ao baixo estoque de óleo diesel. O objetivo é evitar que os veículos cheguem a parar de vez por falta de abastecimento em razão da greve dos caminhoneiros. 

Nesses e em outros municípios, filas enormes de carros têm se formado nos postos e em alguns já falta combustível. 

Em Ribeirão, o número de ônibus nas ruas foi reduzido e volta à normalidade no horário de pico, das 18h às 19h30, diminuindo novamente as linhas depois disso. O ideal é que o usuário consulte os horários, pelo telefone 0800 7710118, antes de sair de casa. 

Em Franca as linhas estão seguindo os horários de domingo, quando operam menos coletivos. A exceção fica por conta dos horários de maior fluxo de passageiros na cidade, das 6h às 8h e das 16h às 18h. Na cidade informações são fornecidas pelo telefone (16) 3707-1300. 

Mais conteúdo sobre:
ônibus combustível

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.