Maioria das bolsas asiáticas fecha em queda

Em pregão fraco, investidores embolsaram ganhos e mostraram cautela com Japan Airlines

Reuters,

30 de dezembro de 2009 | 07h42

Em mais um pregão abatido pelo fraco volume do fim do ano, a maior parte das bolsas de valores da Ásia encerrou a quarta-feira em queda devido a uma realização de lucros. No Japão, o movimento resultou ainda de temores sobre uma falência da Japan Airlines (JAL).

 

As ações da JAL caíram para um recorde de baixa por preocupações de que a empresa será reestruturada em uma corte de falência como parte de um pacote de ajuda do governo.

Em TÓQUIO, o índice perdeu 0,86%, para 10.546 pontos.

 

"No geral, minha impressão é que há um pouco de realização de lucro antes do fim do ano, particularmente com os indicadores dos Estados Unidos que sairão semana que vem", disse Hideyuki Ishiguro, estrategista do Okasan Securities, referindo-se aos números de postos de trabalho.

 

"Dados os ganhos recentes, não surpreende os mercados tomarem um fôlego hoje."

Na última sessão do ano, o índice MSCI de ações da região da Ásia Pacífico com exceção do Japão operava estável às 7h15 (horário de Brasília).

Em 2009, o indicador acumulou alta de 19%, após cair 42% em 2008, que havia sido a maior queda em seus 58 anos de história.

 

Em Sidney houve baixa de 0,24%, a 4.833 pontos, depois de o índice atingir pico em quase 10 semanas mais cedo. A pressão veio de ações de energia e metais em meio a uma queda dos preços das commodities.

 

O mercado de Hong Kong teve oscilação negativa de 0,01%o, para 21.496 pontos. Por outro lado, em Xangai a bolsa subiu 1,58%, para 3.262 pontos e em Seul o mercado ganhou 0,62%, a 1.682 pontos.

 

Melhores perspectivas sobre o mercado chinês atraíram investidores institucionais neste pregão.

Tudo o que sabemos sobre:
mercadoÁsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.