Maioria das reservas do País está em títulos do Tesouro dos EUA

Segundo Meirelles, outra parte do montante em dólar está em aplicações relacionadas a diversos governos

Adriana Fernandes e Renata Veríssimo, da Agência Estado,

22 de outubro de 2008 | 09h56

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, informou em depoimento na Câmara dos Deputados, na terça-feira à noite, que a maior parte das aplicações em dólar está em títulos do Tesouro dos Estados Unidos: US$ 152,877 bilhões. Outra parte das reservas em dólares - US$ 24,7 bilhões - está em aplicações "supranacionais" relacionadas a diversos governos. Desse grupo de aplicações, a maior parte também está no BIS (Banco de Compensações Internacionais) e, em segundo lugar, no Banco de Investimento da Europa. Também há uma parte das reservas em dólar aplicadas em agências governamentais, como a alemã KFW.   Veja também: Governo autoriza estatização de instituições privadas no País Íntegra da MP no Diário Oficial  Consultor responde a dúvidas sobre crise   Como o mundo reage à crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise A cronologia da crise financeira  Dicionário da crise    Segundo Meirelles, US$ 187 bilhões das reservas internacionais estão aplicadas em dólar; US$ 16 bilhões estão em euro; e US$ 894 milhões estão aplicados em ouro. Segundo Meirelles, há ainda US$ 107 milhões aplicados em operações de overnight, a maior parte no BIS.   Das reservas em euro, US$ 13,6 bilhões estão aplicados em papéis dos governos  europeus, segundo Meirelles. Mas há também aplicações em instituições supranacionais  e em agências governamentais, como a KFW. Meirelles informou ainda que a composição das reservas espelha o endividamento externo do País. "A idéia básica é de proteção do País e não de fazer aplicação de risco", disse.   Durante a audiência pública na Câmara, Meirelles afirmou que o BC já injetou US$ 22,9 bilhões no mercado de câmbio para tentar conter a subida do dólar, de 19 de setembro até a última segunda-feira. Desse total, US$ 8,5 bilhões saíram das reservas internacionais e o restante foram operações no mercado futuro.   Meirelles informou ainda que o BC vendeu US$ 3,2 bilhões no mercado a vista (spot), US$ 3,7 bilhões com garantia de recompra (linhas de financiamento), US$ 1,6 bilhão para os bancos emprestarem aos exportadores, na forma de adiantamentos de contrato de câmbio (ACC), US$ 12,9 bilhões em operações de swap, e não tinha rolado uma operação de swap reverso de US$ 1,5 bilhão. Esses dados não consideram as operações de terça-feira. Mesmo com todas essas intervenções, o dólar continua em alta e na terça subiu 5,62%, cotado a R$ 2,236.   A reserva em números   Veja como os recursos estão aplicados:   - US$ 187 bilhões das reservas internacionais estão aplicadas em dólar - US$ 16 bilhões estão em euro - US$ 894 milhões estão aplicados em ouro - US$ 107 milhões aplicados em operações de overnight   Das aplicações em dólar:   - US$ 152,877 bilhões está em títulos do Tesouro dos Estados Unidos - US$ 24,7 bilhões está em aplicações "supranacionais" relacionadas a diversos governos

Tudo o que sabemos sobre:
Henrique MeirellesBC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.