Maioria dos argentinos está pessimista com 2009

O ano de 2009 não suscita expectativas positivas entre os argentinos. Uma pesquisa realizada pelo Centro de Opinião Pública da Universidade de Belgrano indica que 54% dos entrevistados consideram que a economia do país vai piorar no ano que vem. Para outros 32%, a situação econômica no país será igual à de 2008 e apenas 11% acreditam numa melhora. O estudo evidencia uma queda drástica das expectativas positivas em comparação com o fim de 2007, época em que a expectativa dos argentinos para 2008 apresentava otimismo em 48% dos consultados. A pesquisa também sustenta que 50% dos entrevistados acreditam que o desemprego será maior em 2009. Somente 6% acreditam que serão criados mais postos de trabalho. Desde 1975, os argentinos sofreram uma grave crise econômica exatamente a cada sete anos. A expectativa de crise em 2009 repete, mais uma vez, essa característica. O ex-ministro da Economia Domingo Cavallo declarou que a Argentina já está em recessão. Cavallo também pediu ao governo da presidente Cristina Kirchner que se aproxime dos organismos financeiros internacionais e que elimine os impostos excessivos. No entanto, o ex-ministro considerou que, apesar dos problemas, as intenções econômicas do governo são "boas". Ontem à noite, a presidente Cristina declarou que a Argentina possui capacidade de "enfrentar o vendaval que vem de lá fora".

ARIEL PALACIOS, Agencia Estado

31 Dezembro 2008 | 08h51

Mais conteúdo sobre:
crise Argentina

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.