Maioria dos reajustes de aluguel em SP fica abaixo do IGP-M

Apesar da queda na inflação registrada pelo IGP-M nos últimos meses, o número de proprietários que prefere desconsiderar o índice para reajustar os contratos de locação de imóveis ainda é grande. O IGP-M é geralmente a referência utilizada para alterar os valores dos contratos. De acordo com pesquisa da Lello, companhia paulistana de administração imobiliária, 70% dos contratos de locações residenciais e comerciais com reajustes previstos nos últimos quatro meses não tiveram os valores corrigidos integralmente pelo IGP-M.Pelo levantamento, em metade dos casos os reajustes ficaram 0,5 ponto percentual abaixo do índice. Os contratos que tiveram reajustes integrais não passaram de 20%. A pesquisa teve uma amostragem de 400 imóveis entre as mais de 7 mil casas e apartamentos alugados e administrados pela Lello na capital paulista.Para o diretor da empresa, José Roberto Toledo, isso ocorreu por causa do excesso de oferta e do medo que os proprietários têm de ficar com o imóvel vazio e com custos de impostos e itens como contas de água, luz, condomínio e taxa do lixo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.