Maioria vê futuro do mundo com pessimismo

O mundo atravessa uma crise de confiança no futuro, teme que a próxima geração viverá com mais dificuldades econômicas e qualifica seus políticos como "desonestos?. Esse é o resultado de uma pesquisa conduzida pela Gallup International e pelo Fórum Econômico Mundial com 61 mil pessoas em 60 países. Segundo o levantamento, 77% dos entrevistados na América Latina acreditam que os políticos são desonestos. A região é a que pior avaliou a classe política, revelando o desencanto por seus eleitos. As entrevistas, porém, não foram realizadas no Brasil. A pesquisa concluiu que há uma queda significativa no otimismo em relação à prosperidade econômica no mundo. Hoje, 33% dos entrevistas acreditam que a próxima geração será mais próspera que a atual e 36% que será menos. O restante aposta em uma manutenção dos padrões. As conclusões são mais pessimistas que a dos anos anteriores. Mais uma vez os europeus são os mais pessimistas, com 54% apontando para um mundo menos próspero. Já 27% dos americanos apostam numa melhor situação, enquanto 43% apontam para uma crise. Na América Latina, 35% da população acha que ficará mais pobre e 31% acham que a próxima geração viverá melhor. Segundo o estudo, quase metade dos entrevistados (49%) acredita que a próxima geração irá viver em um mundo mais perigoso, politicamente e economicamente. Em relação à pesquisa de 2005, as entidades apontam para uma queda de otimismo nas respostas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.