Mais cuidado na concessão de crédito

O Banco Central (BC) diminuiu de R$ 20 mil para R$ 5 mil o valor mínimo das operações feitas pelos bancos com os clientes que devem ser informadas à Central de Risco de Crédito. Segundo o diretor de Normas do BC, Sérgio Darcy, com a redução do valor o volume de informações da Central triplicará. A medida entra em vigor a partir de janeiro de 2001.Segundo Darcy, a resistência que os bancos tinham com a Central de Risco de Crédito desapareceu. "Eles viram que é um instrumento positivo e que auxilia na análise do cliente na hora da concessão do crédito", afirma . Ele diz que as informações são importantes pois criam um cadastro positivo, fazendo com que o bom cliente tenha acesso mais rápido ao crédito e com taxas diferenciadas.Fugindo da CPMFHoje, o cliente já assina um contrato permitindo o envio das informações para a Central. O BC recebe as informações das instituições, processa e põe tudo à disposição dos bancos. Cada banco então passa a ter acesso a todos os dados gerados pelo sistema. O BC também decidiu fechar a brecha que os bancos vinham utilizando na prestação de serviços para grandes clientes, pessoas jurídicas. Para não pagar a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), os cheques dados pelas empresas para pagamentos a fornecedores, por exemplo, não transitavam pela conta corrente da empresa. Eles iam direto para a conta do banco, que está isento de CPMF. Agora, ficou determinou que eles transitem pela conta corrente da empresa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.