Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Mais de 13 milhões de brasileiros devem deixar compras de Natal para última hora

De acordo com levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e do SPC Brasil, número equivale a 10% dos consumidores que têm a intenção de presentear na data

Maria Regina Silva, O Estado de S.Paulo

18 de dezembro de 2019 | 11h06

Levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que em torno de 13,2 milhões de pessoas no País devem deixar para fazer as compras natalinas a poucos dias da data. O montante equivale a 10% daqueles que têm a intenção de presentear alguém, acima dos 8% registrados em 2018.

Conforme a pesquisa, a expectativa por promoções (48%) é a principal justificativa dos entrevistados para postergar as compras. Outros 20% estão à espera do pagamento da segunda parcela do décimo terceiro salário, enquanto 12% alegam falta de tempo para ir às compras. Uma outra fatia (11%) admite falta de organização e 10% citam a preguiça como argumento para empurrar a tarefa para a última hora.

A pesquisa ainda mostra que 3% dos entrevistados devem adiar as compras de Natal para janeiro de 2020, na esperança de aproveitar as tradicionais liquidações de início de ano. A maior parte dos consumidores se organizou para garantir os presentes ao longo de novembro (30%) ou na primeira quinzena de dezembro (41%).

A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, afirma que, ao deixar as compras para a última hora, o consumidor acaba não tendo tempo para se ater a detalhes importantes, como pesquisar preços de diferentes marcas ou lojas.

"Na correria para garantir todos os itens da lista e não deixar ninguém sem presente, muitas pessoas acabam recorrendo ao parcelamento de forma impensada ou compram o produto na primeira loja que visitam. O recomendado é preparar uma lista de todos os presenteados, estipular o quanto se pode gastar e sair de casa com o dinheiro contado. Isso ajuda a evitar que o consumidor gaste além do valor previsto”, afirma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.