finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Mais de 2000 remédios serão reajustados

Mais de dois mil medicamentos de consumo popular terão aumento a partir deste mês. O índice de reajuste vai variar de 4,5% a 5,94%, segundo pesquisa do Conselho Regional de Farmácia do Distrito Federal (CRF-DF). Segundo o CRF-DF, cinco laboratórios - Climax, Stafford-Miller, Libbs, TRB Pharma e Maragliano - teriam aumentado seus medicamentos antes do dia 15 de janeiro, contrariando o acordo do governo com a indústria.A Medida Provisória editada em dezembro autoriza os aumentos em até 5,94%, mas proíbe o reajuste antes dessa data. A MP prevê que os produtos não reajustados nos últimos 16 meses podem ter aumentos de até 4,95%, a partir deste mês. Depois, os preços devem ficar congelados por um ano.Por estarem sob investigação do governo, a Câmara de Medicamentos divulga hoje comunicado às farmácias informando que o preço dos remédios dos laboratórios Climax, Libbs, Stafford-Miller, Maragliano e TRB Pharma deve ser o mesmo de novembro. As cinco empresas respondem a processo administrativo, no âmbito da câmara, sob a acusação de terem informado valores reajustados às revistas que publicam listas de preços de remédios. Isso teria ocorrido entre 19 de dezembro e 15 de janeiro, período em que qualquer reajuste estava proibido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.