Mais de 60% das rodovias têm problemas, aponta estudo da CNT

Problemas incluem sinalização, pavimentação e geometria da via; seria necessário um investimento mínimo de R$ 355,2 bi para melhorar a infraestrutura das rodovias

Álvaro Campos, da Agência Estado,

01 de novembro de 2013 | 11h13

Mais de 60% das rodovias do Brasil apresentam problemas de sinalização, pavimentação e geometria da via, segundo estudo da Confederação Nacional do Transporte (CNT). O porcentual de estradas com problemas subiu para 63,8% este ano, de 62,7% no ano passado. Segundo o estudo, seria necessário um investimento mínimo de R$ 355,2 bilhões para melhorar a infraestrutura das rodovias brasileiras.

O estudo é divulgado em um momento em que o governo tenta passar ao setor privado a administração de diversas rodovias. Em algumas delas, o governo, teve de inclusive, reduzir as perspectivas de tráfego e aumentar o preço do pedágio que poderá ser cobrado.

Foram analisados 96,7 mil quilômetros de rodovias em todo o País, o que equivale à totalidade da malha federal e às principais estradas estaduais. Na questão das sinalização, 67,3% das vias apresentam problemas. Já no critério de pavimentação, que avalia a capacidade de suportar efeitos do mau tempo, resistir ao desgate e permitir o escoamento das águas, 46,9% dos trechos analisados estão com problemas.

A CNT diz ainda que 77,9% das rodovias não têm condições satisfatórias de geometria, o que afeta a habilidade dos motoristas em manter o controle do veículo e identificar situações e características perigosas. "A implantação de projetos geométricos inadequados limita a capacidade de tráfego, aumenta custos operacionais e pode causar acidentes", diz a instituição.

As rodovias sob concessão da iniciativa privada são as mais bem avaliadas pela pesquisa. Em relação ao estado geral, 84,4% foram classificadas como ótimas ou boas. Apenas 15,6% ficaram na faixa de regular, ruim ou péssima. A situação se inverte quando são analisadas as rodovias sob gestão pública: 26,7% têm condições ótimas ou boas e 73,3% não estão em situação satisfatória.

Custos

Segundo a pesquisa da CNT, as más condições das rodovias geram um aumento médio de 25% no custo operacional dos transportadores. Na região Norte, o aumento nos gastos é o maior do País: 39,5%. Em seguida vêm o Centro-Oeste (26,8%), Nordeste (25,5%) e Sudeste (21,5%). O menor acréscimo é registrado no Sul (19%).

Outro destaque da pesquisa são os dados ligados ao meio ambiente. De acordo com o estudo, rodovias com pavimento adequado proporcionam uma economia de até 5% no consumo de combustível. Se for considerado o consumo de óleo diesel no Brasil em 2013, seria possível uma economia de 661 milhões de litros, ou quase R$ 1,3 bilhão, e uma redução da emissão de 1,7 megatonelada de gás carbônico.

Tudo o que sabemos sobre:
rodoviasCNT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.