Mais de metade dos paulistanos tem dívidas, aponta Fecomercio

Indicador, que estava estável desde fevereiro, apresentou alta de quatro pontos porcentuais em junho

Ana Luísa Westphalen, da Agência Estado,

21 de julho de 2008 | 17h09

Mais de metade dos paulistanos encontra-se endividada, revelou a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP). O nível de endividamento em julho corresponde a 53%. O indicador, que vinha registrando estabilidade desde fevereiro, apresentou alta de quatro pontos porcentuais na comparação com junho. Em relação a julho de 2007, houve queda de três pontos porcentuais. Quanto ao nível de inadimplência, a pesquisa mostrou que 35% dos paulistanos têm contas em atraso, o que representa uma elevação de dois pontos porcentuais em relação a junho e queda de quatro pontos porcentuais ante o mesmo período do ano passado. Na avaliação da assessora econômica da Fecomercio-SP Kelly Carvalho, as recentes pressões inflacionárias, principalmente no preços dos alimentos, e a expansão da oferta de crédito estão entre as causas do aumento do endividamento. Os paulistanos que ganham até três salários mínimos são os que mais possuem dívidas e contas em atraso. Kelly Carvalho considera preocupante que a maioria dos endividados se concentre entre os paulistanos com menor renda, já que esses são justamente os que têm o orçamento mais comprometido com gastos com alimentos, e, conseqüentemente, sentirão mais a alta do preço desses produtos. Por isso, ela projeta um avanço nos níveis de inadimplência para o segundo semestre do ano. De acordo com o levantamento, entre as contas em atraso, predomina o período superior a 90 dias. O prazo médio de comprometimento da renda é em geral entre três meses e um ano. Do total de consumidores ouvidos, 64% declararam a intenção de pagar total ou parcialmente suas dívidas em atraso, parcela menor do que em junho, quando 67% declararam estar dispostos a quitarem suas dívidas. A falta de controle financeiro motivou a inadimplência para 33% dos consumidores, seguida pelo desemprego (22%). O cartão de crédito continua sendo o grande vilão das dívidas segundo 45% dos consumidores, enquanto que, para 22% dos consumidores, são os carnês. Entre os entrevistados, o tipo de despesa que mais gerou dívidas foram aquelas relacionadas à habitação (23%), eletrodomésticos (14%), vestuário (13%) e alimentos (10%). A Peic é apurada mensalmente pela Fecomercio-SP e ouve 1.360 consumidores no município de São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
ConsumidorFecomercio-SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.