Mais importados e mais carros flex em circulação

Além de mais nova, a frota brasileira está mais internacional. O estudo do Sindipeças mostra que 10,5% dos carros que circulam no País são importados. Há dez anos, eram 8,8%. A maioria são modelos fabricados na Argentina, que utilizam peças feitas no Brasil.

, O Estado de S.Paulo

23 de maio de 2010 | 00h00

Dos 3,145 milhões de importados que se agregaram à frota, 1,743 milhão é de origem argentina e 1,402 milhão de outros países. Nos últimos três anos, as importações da Argentina e de outros países cresceram no mesmo ritmo - 30%. Na conta dos outros países estão também os carros trazidos do México, país com o qual o Brasil tem acordo de livre comércio.

Outra constatação do Sindipeças é a de que 31% da frota nacional são bicombustíveis, participação conquistada em apenas cinco anos. O País ainda tem mais da metade (54%) de sua frota movida a gasolina, combustível que abastecia 72% dos tanques em 2004. A frota a diesel se mantém em 10% há sete anos. Já a participação de carros que usam apenas álcool caiu de 16% para 5%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.