Mais seis países suspendem importação de frango do RS

A Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio do Ministério da Agricultura informou no final da tarde de hoje que mais seis países suspenderam as compras de frango produzido no Rio Grande do Sul. O embargo é uma resposta ao foco de Newcastle diagnosticado em granja de subsistência localizada no Rio Grande do Sul.A suspensão foi determinada por acordos sanitários fechados pelo Brasil com esses países. A África do Sul suspendeu a compra de frango produzido num raio de 50 quilômetros a partir do foco e Cuba barrou as importações de produto produzido num raio de 20 quilômetros a partir do foco. Canadá, Coréia do Sul, Hong Kong e Suíça suspenderam as importações de carne de frango produzida a 10 quilômetros do foco.Ontem, outros três países suspenderam as importações de carne de frango do Estado. São eles: Bielo-Rússia, Ucrânia e Marrocos. Com isso, mais de 50 países já impuseram algum tipo de restrição ao frango produzido no Rio Grande do Sul.NegociaçõesA partir de amanhã, o ministro da Agricultura, Luís Carlos Guedes Pinto, negociará a reabertura do mercado argentino para o frango produzido no Rio Grande do Sul. Guedes Pinto participará de reunião de ministros do Conselho Agropecuário do Sul (CAS), em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia.Esta será a primeira viagem internacional de Guedes Pinto como ministro da Agricultura. Ele assumiu o cargo no começo do mês. Além da reabertura do mercado argentino para o frango gaúcho, os ministros devem discutir o Programa de Ação Mercosul Livre de Febre Aftosa (Pama) e a proposta de um modelo único de seguro rural para todo o Cone Sul. Os governos da região pretendem investir cerca de US$ 20 milhões para erradicar a aftosa até 31 dezembro de 2009.Outros três temas serão tratados durante a reunião: agroenergia, cooperação técnica e previsão da safra agrícola na região, informou o ministério.Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai fazem parte do CAS. O Mercosul é um dos principais produtores mundiais de carne bovina. A região tem um rebanho estimado em cerca de 275 milhões de cabeças de gado. O maior é o brasileiro, com cerca de 200 milhões de animais. Depois, aparecem a Argentina, com 50 milhões, e o Paraguai e o Uruguai, cada um com 10 milhões, segundo o diretor de Programa da Área Animal da Secretaria de Defesa Agropecuária, Jorge Caetano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.