Mais trabalho na cobrança

Empresas especializadas na recuperação de créditos com prestações atrasadas detectaram aumento no volume de trabalho da ordem de 10% em outubro deste ano em relação ao mesmo período de 2007. "Há um movimento de alta da inadimplência por causa do excesso de crédito que foi concedido", afirma João Leme, sócio-diretor da ML Serviços de Cobrança, uma das cinco maiores empresas do setor.Especializada em veículos, a companhia renegocia 37 mil crediários por mês. Segundo Leme, o maior volume de créditos em atraso está concentrado nos consumidores de menor renda, nas camadas C e D, que compram carros ousados ou novos de menor valor."Os indicadores mostram que a inadimplência deve piorar no próximo semestre", diz o executivo. Tanto é que a empresa, com mil funcionários em 22 filiais espalhadas pelo País, vai ampliar 15% o quadro de pessoal para atender a demanda maior.

O Estadao de S.Paulo

22 de novembro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.