Superbid
Superbid
Conteúdo Patrocinado

Mais transparência e facilidade nas transações financeiras

Com meta de abrir 150 mil contas até dezembro, Superbid Marketplace terá fintech sob direção de Ricardo Fajnzylber

Superbid Marketplace, Media Lab Estadão
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

14 de agosto de 2020 | 17h18

O Superbid Marketplace acaba de lançar mais uma novidade que vai facilitar a forma de fazer negócios utilizando sua plataforma transacional. Com a fintech S4Pay, que tem como CEO Ricardo Fajnzylber, o marketplace vai facilitar a relação de negócios entre compradores e vendedores. A empresa de meios de pagamentos será exclusiva para compras e vendas no Superbid Marketplace, fazendo a administração de todas as cobranças e pagamentos realizados. A novidade traz uma nova experiência de compra, com mais transparência e agilidade em todo o processo de liquidação financeira. Comprador e vendedor poderão concluir suas transações em poucos minutos e com total segurança. O sistema atende a todas as conformidades exigidas de instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central.

A partir de agora, o usuário que faz uma compra no Superbid Marketplace faz o depósito diretamente na plataforma, utilizando a Conta Digital S4Pay. Cabe à fintech fazer a distribuição dos valores e comissões recebidas e validar que todos os quesitos de conformidade financeira estão sendo cumpridos. Confirmado o recebimento dos valores, o comprador será autorizado a retirar o produto. “Com essa novidade, o Superbid avança no desenvolvimento de uma plataforma transacional com elevado padrão de governança e que tem por trás um negócio de intermediação de bens e serviços financeiros”, destaca Ricardo Fajnzylber.

Antes de assumir a gestão da fintech do grupo, Fajnzylber passou por instituições como Citibank, BBA, Santander e mais recentemente o banco BV, onde teve papel importante na transformação digital pela qual a instituição passou, incluindo o desenvolvimento de produtos e serviços financeiros voltados às fintechs. “Com o conhecimento adquirido ao longo da minha carreira, espero contribuir para essa nova etapa de transformação do Superbid Marketplace”, aponta o executivo.

Vale destacar que toda a mudança do ponto de vista financeiro só é possível porque o Banco Central, nos últimos anos, tem incentivado a criação de instituições de pagamento (uma das modalidades das chamadas fintechs) com o objetivo de aumentar a competitividade e a eficiência das operações financeiras no País. A partir de outubro, por exemplo, entra em operação o PIX, sistema de pagamentos instantâneos desenvolvido pelo Banco Central, que reduz o número de intermediários entre a saída do dinheiro de uma conta e a chegada do valor à conta do favorecido, simplificando o fluxo de pagamentos e transferências. Atualmente, essa operação passa pelo emissor do cartão, pela bandeira, pela adquirente (“empresa da maquininha”), até ser creditada na conta no banco de destino. Com o PIX, as operações serão instantâneas e sem intermediários, liquidadas instantaneamente 24 horas por dia, 7 dias por semana e com custo significativamente menor.

É neste contexto que surgem as chamadas fintechs, entre elas as instituições de pagamentos que prestam serviços de transferência de valores para seus usuários, mas que não são banco. E o Superbid sai na frente ao criar a S4Pay, uma das primeiras a atuarem dentro deste mercado. De acordo com Fajnzylber, a meta é chegar ao fim deste ano com cerca de 150 mil contas digitais abertas, todas de usuários compradores e vendedores do Superbid Marketplace.

É uma disruptura importante, já que todo o processo poderá ser feito dentro da plataforma, de maneira mais rápida e com custos menores que nos meios tradicionais. “A transação é feita 100% dentro da plataforma e todo o processo é feito de acordo com as regras do Banco Central, o que traz toda a segurança tanto para quem paga pela compra quanto para quem recebe pela venda”, diz o fundador do Superbid, Rodrigo Santoro. “Estamos lidando com dinheiro de outras pessoas e empresas, por isso todo o processo segue regras rígidas e muita governança”, complementa.

Um dos pioneiros na realização de leilões oficiais no mundo digital, o Superbid tem operações no Brasil e em mais sete países, conta com 450 colaboradores e realiza mais de 50 eventos por dia na América Latina, o que o posiciona como um dos maiores grupos da região. Anualmente, cerca de 8 milhões de usuários buscam por oportunidades oferecidas por mais de 8 mil corporações e empresas vendedoras que utilizam o marketplace. Entre as companhias que já usaram a plataforma do Superbid Marketplace estão Petrobras, General Motors e Pepsico, além de grandes nomes do agronegócio e do setor de construção, em território nacional e também em outros países da América Latina.

O Grupo Superbid foi fundado em 1999. A princípio, apenas um leiloeiro anunciava na plataforma. Nos últimos cinco anos, a companhia decidiu se reinventar, abrindo a plataforma para uso de outros vendedores e transformando-se em um marketplace de bens de capital, disponibilizando soluções transacionais com ênfase em tecnologia para o mercado de leilões.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.