Mais três ações em andamento

Ao longo deste mês, investidores dos Estados Unidos abriram outras três ações coletivas contra a Petrobrás. Onze escritórios de advocacia ainda buscam fundos e investidores individuais dispostos a participar das ações - que, como ocorreu no caso de Providence, foram abertas na Corte Distrital de Nova York.

O Estado de S.Paulo

26 Dezembro 2014 | 03h40

É comum nos Estados Unidos que investidores abram processos contra empresas que demonstraram falhas de gestão. O risco para a Petrobrás é elevado, segundo advogados, pois a Justiça dos EUA tende a proteger os direitos dos acionistas minoritários. A alegação das três ações, que devem ser unidas em uma só, é que a Petrobrás violou a lei que regula o mercado de capitais americano ao divulgar "declarações falsas" e não revelar "a cultura de corrupção dentro da companhia".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.