Mais três países suspendem compras ao frango do RS

O superintendente federal de Agricultura no Rio Grande do Sul, Francisco Signor, afirmou nesta terça-feira que mais três países suspenderam as importações de carne de frango do Estado. São eles: Bielo-Rússia, Ucrânia e Marrocos. Esse embargo vale por um período de seis meses e é uma resposta ao foco de Newcastle diagnosticado no começo do mês em uma granja do município de Vale Real, no RS. A Rússia já havia anunciado este embargo e o Japão disse que não compraria carne de frango produzida num raio de 50 quilômetros do foco por um período de 90 dias. Segundo Signor, cerca de 40 países barraram as compras do produto produzido num raio de 10 quilômetros por um prazo de 30 dias. "O acordo sanitário fechado entre o Brasil e esses países impede a venda", disse o superintendente. Entre esse países estão importantes compradores, como Arábia Saudita, China, Emirados Árabes, Hong Kong e União Européia. "Ainda não há um reflexo nas exportações porque está sendo fornecido produto de fora dessa região para esses mercados", disse. Novos exames Signor afirmou que os técnicos estão fazendo novas sorologias, exames que poderão confirmar ou descartar a ocorrência de novos focos na região. "É possível que a presença de Newcastle seja reflexo da vacina", disse.Segundo o superintendente, serão feitas três análises deste tipo e o Rio Grande do Sul está na fase de conclusão da primeira. Técnicos da Superintendência do RS reuniram-se hoje com representantes da Secretaria de Defesa Agropecuária, em Brasília. Signor não participou da reunião.Missão russa A missão russa que avaliará as medidas de controle da febre aftosa no Mato Grosso do Sul e no Paraná chegará ao País nos próximos dias. O grupo ficará 15 dias no Brasil. O ministro da Agricultura, Luís Carlos Guedes Pinto, disse hoje que a grande preocupação do governo é o comércio de carne suína, pois com o embargo russo as vendas externas brasileiras caíram de forma acentuada.Só algumas regiões têm autorização para vender para a Rússia e em abril Moscou autorizou as vendas de carnes do Rio Grande do Sul. "Espero que eles liberem outros mercados, particularmente Santa Catarina", afirmou. Até a tarde de segunda, a secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio do Ministério da Agricultura ainda não tinha informações sobre o roteiro a ser cumprido pela missão russa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.