Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Mais um divórcio em Hollywood

Arrependido por ter vendido a DreamWorks à Paramount, Spielberg estaria disposto a procurar um novo studio

Claudia Eller, O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2024 | 00h00

Menos de dois anos depois de o diretor Steven Spielberg e seus parceiros terem vendido a DreamWorks SKG para a Paramount Pictures - que faz parte da Viacom Inc. - por US$ 1,6 bilhão, o divórcio parece inevitável. Spielberg e seu parceiro, David Geffen, têm sentido que não têm recebido mais autonomia nem crédito dentro da Viacom diante do sucesso de seus últimos lançamentos.Os recentes sucessos de bilheteria Transformers e Escorregando para a Glória tiraram a Paramount do fundo do poço e intensificaram os ressentimentos entre os fundadores da DreamWorks e seus proprietários, tensão que só tem se acumulado desde que a transação foi concluída, há 19 meses.Com o arrependimento pela venda, a expectativa é que a diretoria da DreamWorks se afaste no final do próximo ano. Geffen já vem dizendo que ele e Spielberg planejam procurar um novo apoio financeiro e um novo studio.Mas o rompimento será atabalhoado. Não apenas Spielberg está mergulhado numa série de produções cinematográficas de grande porte no estúdio, como também seus sócios seriam obrigados a deixar para trás centenas de projetos em andamento, além de executivos importantes na DreamWorks e também aqueles que foram colocados em cargos chave na Paramount.A partida deles resultaria numa rivalidade ainda mais acirrada entre a Paramount e a Dream Works, pois os dois grupos então competiriam cabeça a cabeça por projetos, talentos e o dinheiro do consumidor.A questão para a Paramount, então, é saber se o estúdio ganhou a aposta que fez quando comprou o estúdio de Spielberg, Geffen e Jeffrey Katzenburg com 11 anos de existência. Executivos da Paramount dizem que a aquisição mais do que se pagará por si mesma.''''Para nós, a transação foi altamente lucrativa e seu cronograma está adiantado'''', disse o presidente do conselho da Paramount, Brad Grey. O executivo reconheceu que a transação com a DreamWorks ''''realmente acelerou nossa recuperação.'''' Sucessos da DreamWorks como Dreamgirls: Em Busca de um Sonho tiveram um papel importante na recuperação da Paramount, que tinha poucos projetos em andamento quando Grey assumiu o posto, no início de 2005.Numa época em que os filmes da Paramount tiveram um desempenho nas bilheterias aquém do esperado, os sucessos da DreamWorks catapultaram seu proprietário do último para o primeiro lugar em participação de mercado.O diretor da divisão de filmes de não animação da DreamWorks, David Geffen, já deixou claras suas intenções de deixar a Paramount. Se ele for, Spielberg tem o direito de segui-lo porta afora. Se Spielberg sair, Stacey Snider, que dirige a DreamWorks, também pode ir.Depois que a notícia do desejo de deixar a Paramount de Geffen começou a circular, o alto escalão da Viacom resolveu reagir. Numa conferência com investidores em Nova York na semana passada, o diretor-presidente da Viacom, Philippe Dauman, disse sobre o provável divórcio: ''''Estamos nos planejando para isso.''''

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.