Malan: preço do combustível ainda pode cair

O ministro da Fazenda, Pedro Malan, disse que os preços dos combustíveis poderiam ter uma redução levemente superior a 4% em abril, considerando os preços do petróleo e do dólar até o final da semana passada. Malan explicou que o governo não tem feito previsões de queda ou aumento no preço dos combustíveis, mas cálculo a partir do preço médio do petróleo e do dólar. O ministro, com isso, quer evitar as comparações com as previsões anteriores de queda para o preço do combustível. O quadro mudou porque o petróleo não cedeu como esperado e o dólar acabou subindo além das expectativas.A nova fórmula do cálculo do preço interno dos combustíveis, que considera o dólar e o preço do petróleo, foi publicada no Diário Oficial de 5 de janeiro de 2001. Em janeiro, o governo, conforme ata de reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), previa que os combustíveis poderiam recuar 6,5% ao consumidor em abril. No começo de março, devido às novas condições do mercado, o próprio ministro Malan dizia que o preço dos combustíveis poderia cair entre 4% e 4,5%.A decisão final será tomada nos primeiros dias de abril, considerando os preços efetivos de dólar e petróleo até o final de março. Após o realinhamento de abril, a medida vai se repetir em julho e em outubro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.