Malásia e Cabo Verde impõem embargo à carne brasileira

O Ministério da Agricultura confirmou hoje que mais dois países anunciaram embargo à carne brasileira. O primeiro país é Cabo Verde, que suspendeu as compras de carne bovina e suína de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Paraná. O segundo país é a Malásia, que só autorizou a compra de carne bovina de animais abatidos em dois frigoríficos: um fica Anastácio, no Mato Grosso do Sul, e o outro em José Bonifácio, em São Paulo. O frigorífico do Mato Grosso do Sul, que recebeu o aval da Malásia, não está na zona interditada pelo Ministério da Agricultura e por isso poderá continuar vendendo para o país, desde que os animais abatidos não venham de região onde foram confirmados os focos de aftosa. Com os embargos anunciados, sobe para 49 o número de países que impuseram algum tipo de restrição à carne brasileira. RS reabre entrada de aves e suínos de SC O governo gaúcho editou portaria hoje que prevê mudanças nas regras de entrada de animais e derivados no Estado, adotadas como parte das medidas de prevenção à febre aftosa. Somente para Santa Catarina, o Rio Grande do Sul reabre a passagem de aves, pintos de um dia, ovos férteis de granjas certificadas, suínos para reprodução, recria e abate, oriundos também de propriedades certificadas, com Guia de Trânsito Animal emitida por veterinário oficial e com carga lacrada. A liberação atende a um pedido do setor produtivo, que conta com integradores nos dois Estados. Além disso, em algumas empresas, a oferta de ovos férteis e pintos de um dia já começava a se tornar escassa por causa da proibição. As barreiras gaúchas continuarão impedindo o ingresso de animais e derivados de outros Estados. A norma impede a passagem de bovinos, bubalinos, suínos, e eqüídeos do MS, PR e das cidades paulistas de Restinga, Itapetininga e São Carlos, pintos de um dia, ovos férteis procedentes de cinco municípios do MS, PR e das mesmas cidades de SP, capivaras, javalis, caprinos, ovinos, produtos e subprodutos de origem animal das mesmas regiões, carnes suína, bovina e bubalina com osso, entre outros itens.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.