Manifestantes pedem a libertação de 35 detidos em Madri

Nesta terça-feira, 35 pessoas que foram detidas durante confrontos perto do Parlamento espanhol. Pessoas também protestaram contra as novas medidas de austeridade do governo

André Lachini, da agência Estado,

26 de setembro de 2012 | 18h57

MADRI - Milhares de manifestantes voltaram às ruas do centro de Madri nesta quarta-feira, exigindo a libertação de 35 pessoas que foram detidas na terça-feira pela polícia durante os confrontos perto do Parlamento espanhol, informou o jornal El País. Os manifestantes também protestaram contra as novas medidas de austeridade que o governo do primeiro-ministro Mariano Rajoy, do Partido Popular (PP) poderá anunciar na quinta-feira. A polícia da Prefeitura de Madri estimou que 2.500 pessoas participaram hoje do protesto - abaixo das 6 mil pessoas que se concentraram ontem na praça Netuno. Mas os manifestantes cortaram o trânsito no Passeio do Prado e embora não tenham ocorrido incidentes violentos deixaram claro o descontentamento com a crise e o governo.

O El País informou que 64 pessoas ficaram feridas, entre elas 27 policiais, nos tumultos da terça-feira. Um dos policiais perdeu a visão de um olho. Assim como ontem, os manifestantes não conseguiram se aproximar muito do Parlamento. Entre as milhares de pessoas, estavam estudantes, desempregados e ativistas vindos de várias regiões espanholas, como Andaluzia, Catalunha, Galícia e Valência. O grupo de protestos chamado "indignados" que protagoniza demonstrações desde o ano passado, também enviou manifestantes.

Tudo o que sabemos sobre:
espanhacriseeuromanifestaçao

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.