Manifestantes protestam por tarifa social da Eletropaulo

Dois grupos de manifestantes protestaram em postos da companhia de energia do Estado de São Paulo, AES Eletropaulo, na manhã de hoje contrários à maneira como a empresa tem lidado com a tarifa social, que prevê que residências de baixa renda que consomem entre 80 e 220 kilowattshora por mês (kWh/mês) tenham até 65% de desconto na taxa de energia elétrica. O protesto em São Paulo é baseado na maneira como o cadastro das famílias que pretendem obter o benefício vem sendo feito e faz parte de uma mobilização nacional.Segundo a assessoria da empresa, apenas as comissões formadas pelos integrantes entraram nos prédios dos postos de Taboão da Serra, na grande São Paulo, e de Santo Amaro, na zona sul, onde um grupo de 50 pessoas vindas em dois ônibus do bairro Paraisópolis protestavam em frente ao prédio. Em 2006, a AES Eletropaulo regularizou a energia elétrica de 80 mil famílias nos 24 municípios que a empresa atende, incluindo a Capital. Com essa ação, a empresa irá recuperar R$ 40 milhões em 2007. A previsão para esse ano é regularizar 70 mil famílias.Desde 2004, quando o projeto começou, 173 mil famílias já foram beneficiadas. Só em Paraisópolis, maior núcleo a ser regularizado, serão 16 mil famílias até o fim de 2007.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.