Juros

E-Investidor: Esperado, novo corte da Selic deve acelerar troca da renda fixa por variável

Manifestantes tomam as ruas na Europa

ONGs e sindicatos pedem aos líderes do G-20 que ?ponham as pessoas em primeiro lugar?

Agências internacionais, LONDRES, O Estadao de S.Paulo

28 de março de 2009 | 00h00

Mais de 130 organizações políticas, sindicais e humanitárias participaram ontem de uma manifestação em Londres para pedir ao Grupo dos Vinte (G-20, que reúne os países mais ricos e principais economias emergentes) para pôr "as pessoas em primeiro lugar". Os manifestantes esperam que isso aconteça com a geração de empregos e de um sistema econômico justo, que respeite o meio ambiente.Sob o lema de "Ponha as pessoas em primeiro lugar", ONGs como Oxfam, Greenpeace, o Congresso de Sindicatos (TUC, que reúne as centrais sindicais) e o artístico RampArt caminharam juntos para expressar suas reivindicações ao G-20, que realiz sua cúpula quinta-feira em Londres. Além da capital londrina, Roma, Berlim, Viena e Paris também reuniram manifestantes ontem.Em meio a fortes medidas de segurança, os ativistas saíram de Embankment, às margens do Rio Tâmisa, e foram até o Hyde Park, onde se concentraram para ouvir discursos. Segundo a polícia, cerca de 35 mil pessoas estavam presentes.Os organizadores ressaltaram ontem que os atos são pacíficos em uma tentativa de reduzir a tensão criada nos últimos dias por causa das mensagens de precaução da polícia às lojas e empresas. A polícia britânica gastou 7,8 milhões para colocar um dispositivo de segurança em mais de 2.500 agentes ans ruas para impedir eventuais distúrbios.Diferentemente dos protestos previstos para o dia 1º de abril na City, centro financeiro de Londres, que preveem atos de provocação, a manifestação de ontem foi pensada para atrair pessoas de todas as raças, idades e religiões. "Falamos às pessoas comuns, que perdem o emprego e não podem pagar a hipoteca, que pagam o pato dos excessos dos banqueiros em um sistema que permitiu que lucrassem à custa dos demais", disse uma porta-voz do TUC.MAIS PROTESTOSNa Alemanha, as cidades de Berlim e Frankfurt também tiveram manifestações contra a cúpula do G-20. Os movimentos foram feitos por organizações de esquerda. Uma delas, a Attac, afirmou que havia conseguido reunir 15 mil pessoas nas ruas de Frankfurt. O protesto, porém, foi menos pacífico. Alguns manifestantes foram presos por jogar pedras e garrafas nos policiais. Em Roma, cerca de 6 mil pessoas fizeram uma passeata para protestar sobre um encontro dos ministros de trabalho do países integrantes do G-8 na cidade. No centro de Paris, algumas centenas de manifestantes se reuniram sob o slogan "Nós não vamos pagar por essa crise". O mesmo recado foi emitido por um grupo de 6,5 mil protestantes em Viena.NÚMEROS130 organizaçõesentre sindicatos e ONGs foram às ruas de Londres pedir à Cúpula do G-20 mais proteção aos trabalhadores2,5 milpoliciais foram chamados para reforçar a segurança em Londres15 milpessoas se manifestaram em Frankfurt, Alemanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.