Mansão de F. Scott Fitzgerald está à venda por US$ 35 milhões

Autor de 'Grande Gatsby' descreveu casa na Costa Azul como 'ampla, rosada e orgulhosa'

Efe,

15 de maio de 2013 | 14h54

PARIS - O espírito do livro O Grande Gatsby, origem do filme que abre o Festival de Cannes nesta quarta-feira, 15, protagonizado por Leonardo di Caprio, sobrevive na luxuosa mansão que pertenceu ao escritor F. Scott Fitzgerald. O imóvel está à venda na Costa Azul, no litoral da França, avaliado em cerca de US$ 35 milhões.

A espetacular casa em que Fitzgerald e a esposa Zelda viveram e onde foram escritos vários de seus mais famosos livros é uma das muitas que fazem esta parte do mediterrâneo francês um exemplo máximo de luxo.

"A casa reflete com muita fidelidade o espírito daquele período", explicou à Agência Efe a corretora Maria McLean, de Sotheby's International Realty. O imóvel, pertencente a uma empresa alemã, é decorado com reproduções de fotografias de Fitzgerald, que viveu na casa 1922 e 1924.

"O mais interessante é a localização no alto e ao lado da praia, que permite chegar de barco em casa", explicou a corretora. A praia na Riviera Francesa é o local onde a "geração perdida" americana escolheu para refugiar-se para escapar das normas que limitavam sua ânsia de desfrutar a vida.

 

 

Como Fitzgerald, moraram na região Somerset Maugham, Coco Chanel, Salvador Dalí, Jean Cocteau e muitos outros artistas, intelectuais e escritores.

A casa foi descrita no livro Tender is the night como "ampla, orgulhosa e rosada", com palmeiras que refrescam sua fachada e diante da qual se estende uma praia deslumbrante".

Com sete quartos, vários terraços nos quais Fitzgerald organizava memoráveis festas semelhantes às que aparecem no Grande Gatsby.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.