Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Mantega acredita em mais cortes nos juros, diz senador

Em reunião do Conselho Político, ministro da Fazenda prevê continuidade da queda, no longo prazo

Fabio Graner, da Agência Estado,

14 de fevereiro de 2008 | 16h52

A inflação sob controle em um ambiente com juros reais na casa de 7% ao ano no Brasil contraria o discurso conservador que não via condições de o País ter juros reais inferiores a 10% anuais. A afirmação foi feita pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, na reunião desta quinta-feira, 14, do Conselho Político do governo, segundo informou o líder do PSB no Senado, Renato Casagrande (PSB-ES). Ele disse que o ministro vê, no longo prazo, continuidade da trajetória de queda nos juros, mas não fez comentários sobre a próxima reunião do Copom. De acordo com o senador, a reunião foi marcada pela apresentação dos dados econômicos e de execução de investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Foram distribuídos aos parlamentares cópias do balanço de primeiro ano do PAC, apresentado à imprensa no mês passado. Casagrande disse que Mantega reafirmou que o programa está produzindo resultados na economia, acelerando o nível de atividade econômica, o consumo e os investimentos. O ministro repetiu a comparação entre o cenário base do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e os resultados efetivos obtidos pelo País em 2007, em sua maior parte melhores do que se previa no lançamento do programa. "Mantega disse que os resultados de 2007 reforçam a percepção de que o desempenho nos próximos anos deverá ficar próximo do previsto no cenário inicial do PAC", afirmou. O senador informou ainda que o ministro destacou a redução da vulnerabilidade do País e que, por isso, está muito mais preparado para atravessar o atual período de turbulências internacionais. Mantega mostrou aos parlamentares alguns artigos de periódicos de países desenvolvidos elogiando a economia brasileira.  Segundo Casagrande, Mantega não fez apelos aos parlamentares para aprovar matérias de interesse da política econômica do governo. Na semana que vem, o Conselho Político voltará a se reunir para ouvir de Mantega a apresentação da reforma tributária que será encaminhada ao Congresso. Em relação à apresentação da ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, Casagrande destacou que ela afirmou que o PAC vai transformar o Brasil em um canteiro de obras e apresentou no detalhe o andamento das obras do programa.

Tudo o que sabemos sobre:
Guido MantegaJuros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.