Mantega acredita em queda dos juros a partir de agora

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Guido Mantega, admitiu hoje, em reunião com empresários no Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), que os juros altos podem, de fato, atrapalhar o nível de atividade industrial. Mantega manifestou esperança de que os juros estejam praticamente em seu limite de alta e que caiam a partir de agora. De qualquer forma, ressalvou, a combinação juros/câmbio ainda não chegou a comprometer o crescimento da economia geral, que deve ficar em torno de 4% este ano, segundo ele. Questionado se as taxas de juros já estariam no limite de alta, Mantega afirmou que sim: "os juros estão praticamente no limite de alta". Inflação Mantega defendeu que o Conselho Monetário Nacional adote uma posição mais flexível em relação à meta de inflação para 2007. De acordo com o presidente do BNDES, o Brasil é um produtor de commodities e, por isso mesmo, é obrigado a vendê-las a preços internacionais. Ao mesmo tempo, os preços administrados não sofrem influência direta da taxa de juros. "Esses dois fatores (commodities mais preços administrados) refletem uma pressão de preços, que não pode ser controlada simplesmente pelo mecanismo de juros", afirmou. O presidente do BNDES acredita que alguns setores da economia vivem no momento um processo de acomodação, típico de ciclos econômicos, após 15 meses seguidos de crescimento. "É natural que haja um arrefecimento das taxas de crescimento", ressaltou.

Agencia Estado,

23 Maio 2005 | 14h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.