finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Mantega admite aumento da carga tributária, mas volta atrás

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, após ter feito uma "confissão pública" de elevação da carga tributária a uma platéia formada por empresários, voltou atrás e disse que fez a afirmação em tom de brincadeira. Mantega citou um aumento de 0,8% do Produto Interno Bruto (PIB) no PIS/Cofins sobre importados e de 0,08% do PIB dessa mesma taxa para a indústria nacional, e justificou o aumento como uma forma de equalizar os preços dos produtos nacionais com os importados.Ele ponderou, no entanto, que "o governo também realizou desonerações". Segundo o ministro, o governo Lula planeja ainda um programa de redução de tributos, do qual a primeira medida é a aprovação da Lei Geral de Pequenas e Micro Empresas, além de incluir também a CPMF no plano. Não elevar a carga tributária durante o mandato era uma das principais promessas feitas pelo governo Lula.

Agencia Estado,

25 de outubro de 2006 | 13h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.