Mantega admite que meta fiscal é pouco ambiciosa

Depois de afirmar que o setor público consolidado fará um superávit primário de 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2014, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, lembrou que já foram feitos resultados maiores antes da crise. "Já fizemos resultados maiores no pré-crise, mas de 2008 para cá fica mais difícil fazer resultados primários maiores", reconheceu.

LAÍS ALEGRETTI, ADRIANA FERNANDES, RENATA VERÍSSIMO E RICARDO DELLA COLETTA, Agencia Estado

20 de fevereiro de 2014 | 11h57

"O Brasil continua sendo um dos países que fazem maiores superávits primários do mundo e vamos continuar nessa trajetória", afirmou. Mantega lembrou que o resultado do ano passado, em relação ao PIB, também foi de 1,9%.

Tudo o que sabemos sobre:
meta fiscal2014Mantegasuperávit

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.