Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Mantega admite reduzir alíquota da CPMF em 2008

O ministro da Fazenda, Guido Mantega,admitiu nesta segunda-feira que o governo pode aceitar umaredução gradual da alíquota da CPMF já a partir de 2008. "Neste momento queremos aprovar (a prorrogação da CPMF) sema mudança da alíquota. Depois de aprovada nas duas Casas, há umdispositivo na emenda da CPMF que nos permite, por leiordinária ou medida provisória, propor uma redução na alíquotaou uma redução de outros tributos", afirmou Mantega ajornalistas após participar do Fórum de Economia promovido pelaFundação Getúlio Vargas (FGV). De acordo com o ministro, essa redução da alíquota--atualmente em 0,38 por cento-- poderia ser feita "a partir doano que vem". Mas Mantega quer discutir outras alternativas antes desacramentar uma redução na alíquota do chamado "imposto docheque". Segundo ele, é preciso avaliar os benefícios para aeconomia da redução de outros tributos. O governo conseguiu aprovar a proposta de prorrogação daCPMF até 2011 na madrugada de sexta-feira na Comissão Especialda Câmara que discutia o assunto. O projeto deve ser votadopelo plenário da Casa ainda nesta semana para depois serenviado ao Senado. EFEITO EXTERNO EM 2008 Mantega afirmou também que a economia brasileira não devesofrer este ano com a recente turbulência dos mercadosmundiais, já que compensará uma eventual redução da demandaexterna com o mercado doméstico, que está forte. "É uma turbulência de grande magnitude, comparável à crisede 1998, mas não vai afetar a gente este ano. Pode afetar em2008, porque pode levar a uma desaceleração mundial e umadesaceleração do PIB brasileiro em 0,1 ponto ou 0,3 pontopercentual", disse. Analistas acreditam que a economia brasileira crescerá 4,7por cento em 2007 e 4,33 por cento em 2008, de acordo compesquisa semanal feita pelo Banco Central e divulgada nestasegunda-feira. (Por Vanessa Stelzer)

REUTERS

17 de setembro de 2007 | 11h58

Tudo o que sabemos sobre:
MACROMANTEGAATUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.