Mantega: alíquota do IOF poderá ser revisada

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse hoje que a alíquota de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) de 1,5% para aplicações de estrangeiros em renda fixa e títulos da dívida do governo poderá ser revisada. "Vamos observar o resultado. O IOF pode ser graduado para conseguirmos o efeito que queremos", disse.Mantega observou que a alíquota de 1,5% sobre o total da operação deverá ter efeito semelhante a uma alíquota de 15% do Imposto de Renda sobre o rendimento. "O 1,5% sobre o capital é quase como uma alíquota de 15% sobre o rendimento das operações. Isso simula um pouco o IR nessas operações", disse.Política industrialSobre a nova política industrial que está em estudo no governo, Mantega afirmou que deve haver medidas como a diminuição da tributação, redução do financiamento e apoio ao desenvolvimento tecnológico. DebênturesSegundo o Ministério da Fazenda, os lançamentos de debêntures (títulos de dívida privada) das empresas também terão que pagar 1,5% de IOF por se tratar de uma operação de renda fixa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.