Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Mantega: alta do juro na China causará desaceleração

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou hoje que o aumento dos juros chineses deve resultar em uma desaceleração da economia mundial em 2011, devido ao peso da China na recuperação do mercado global. Segundo o ministro, no entanto, essa desaceleração já era esperada devido "ao refluxo das medidas de estímulo tomadas durante a crise e que agora estão sendo retiradas". Os comentários foram feitos na portaria do Ministério da Fazenda, em Brasília.

EDUARDO RODRIGUES E ADRIANA FERNANDES, Agencia Estado

28 de dezembro de 2010 | 11h45

Para ele, por conta disso, o crescimento brasileiro também será afetado. "Quando a China coloca o pé no freio, afeta os outros países, uma vez que os emergentes agora têm peso maior", disse. De acordo com o ministro, o aumento dos juros determinado pelo governo chinês tem o objetivo de conter a inflação no gigante asiático.

Um dos motivos das pressões inflacionárias foi a política anticíclica, adotada pelo governo da China durante a crise, de concessão de crédito, que injetou US$ 1,2 trilhão no mercado. "Talvez tenha sido um pouco exagerado e acabou resultando numa bolha imobiliária", disse Mantega.

Além disso, conforme o ministro, a China seria muito sensível ao aumento dos preços das commodities alimentícias. "Quanto menor é a renda da população, maior é o peso do custo dos alimentos na inflação", concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
juroChinadesaceleraçãoBrasilMantega

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.