Mantega anuncia primeiros nomes da equipe econômica

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, acaba de anunciar os dois primeiros novos integrantes da sua equipe. Ele escolheu para a Secretaria Executiva do Ministério da Fazenda o atual secretário de Política Econômica, Bernard Appy. Para o lugar de Joaquim Levy, na Secretaria do Tesouro Nacional, Mantega anunciou o nome de Carlos Kawall, atual diretor do BNDES.Questionado se o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, permanece no cargo, o ministro respondeu: "Banco Central não é minha atribuição. Tem que perguntar ao presidente do Banco Central".Interinamente, para ocupar a secretaria de Política Econômica, foi escolhido Otavio Ribeiro Damazio, que atualmente é o secretário adjunto de Política Econômica. Ao contrário do que havia anunciado ontem, Mantega não divulgou os nomes de toda a equipe. Os outros nomes deverão ser anunciados na próxima semana.Sobre Bernard Appy, o ministro disse que já o conhece há muito tempo, com quem sempre teve um relacionamento profissional no passado. Ele lembrou que Appy já foi secretário executivo na gestão de Antonio Palocci e que, quando (Mantega) foi ministro do Planejamento nos dois primeiros anos do governo Lula, trabalhou em conjunto com Appy.Ao anunciar o nome de Carlos Kawall, o ministro brincou com os jornalistas: "Estava difícil de adivinhar...". O ministro lembrou que já trabalhava com Kawall no BNDES e que ele "é muito bem preparado para o cargo". Afirmou que tem excelente relacionamento profissional com Kawall e citou que ele já trabalhou no Citibank e teve experiência anterior no setor público, tendo atuado no Banespa e na Eletropaulo.Kawall começará a trabalhar na próxima semana. Já Appy assume o cargo amanhã. Sobre os outros nomes para completar a equipe, Mantega afirmou: "Se me derem um tempinho, divulgo os demais nomes na próxima semana".O ministro disse que, exceto o secretário-executivo do Ministério, Murilo Portugal, nenhum secretário pediu demissão. Ele lembrou que Joaquim Levy, do Tesouro, já estava com sua saída prevista desde o ano passado.Conversa íntimaMantega informou há pouco que terá uma conversa íntima com cada um dos secretários para definir a permanência deles no Ministério. Por isso, não quis confirmar a permanência de Jorge Rachid como secretário da Receita Federal, ao ser questionado pelos jornalistas. "É uma questão de cordialidade e relacionamento", afirmou.Mantega disse que foi apanhado de surpresa e ainda ontem estava no BNDES encerrando suas atividades. Lembrou que, só hoje de manhã, pôde ter a primeira reunião com o secretariado do Ministério da Fazenda. "Ainda não conversei com cada um deles. Foi meio atabalhoado", disse sobre a rapidez de sua chegada ao ministério. Ele adiantou que quer ter uma conversa longa com cada um para então definir os nomes que faltam."Uma parte dos que estão permanecerão, e alguns podem sair. Depende dessas conversas mais íntimas", afirmou Mantega, ao anunciar os primeiros nomes de sua equipe. Falta definir o nome do substituto de Bernard Appy na Secretaria de Política Econômica e a permanência ou mudança nos cargos de secretários de Assuntos Internacionais, hoje ocupado por Luís Pereira, e da Receita Federal, onde está Jorge Rachid, além da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, hoje dirigida por Manoel Felipe do Rego.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.