Mantega: bancos públicos poderão adquirir privados

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou hoje que a Medida Provisória 443, que permite aos bancos estatais adquirirem ações e até o controle de instituições financeiras privadas, foi tomada diante dos problemas de liquidez no sistema financeiro brasileiro. Segundo ele, a medida cria uma alternativa para as instituições que hoje enfrentam problemas de liquidez, que poderão alienar parte de suas ações ou até o controle acionário para instituições financeiras públicas, o que era até então vedado, mas que era permitido para o setor privado. O ministro explicou que a nova possibilidade é favorável às instituições que estão com problema de liquidez, porque elas ganham uma alternativa para sanar esse problema. O ministro destacou que a medida também favorece a concorrência no sistema financeiro entre os potenciais compradores e, com isso, pode melhorar o preço a ser recebido pelas instituições em dificuldade. Afinal, novos investidores passam a participar desse mercado. Mantega destacou que o governo tem atuado para resolver o problema de liquidez no sistema e lembrou que o Banco Central já liberou o compulsório para resolver esse problema, tanto liberando diretamente os recursos quanto vinculando essa liberação à venda de carteiras de crédito.

FABIO GRANER, ADRIANA FERNANDES E RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

22 Outubro 2008 | 13h44

Mais conteúdo sobre:
bancos Mantega MP 443

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.