Mantega: 'câmbio está flutuando na direção boa'

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou hoje acreditar que a adoção da alíquota de 2% de Imposto sobre Operações Financeiras sobre o capital estrangeiro para renda fixa e variável foi uma medida bem-sucedida e conseguiu estancar uma perspectiva de excessiva valorização do real ante o dólar no curto prazo. "Talvez a tendência do câmbio seja benigna nos próximos meses e não tenhamos aquela sobrevalorização que estava nos ameaçando algum tempo atrás", disse. "Estacamos aquele processo de excesso que estava sendo cometido. O IOF funcionou bem. Continuamos com o câmbio flutuante. Felizmente, está flutuando na direção boa, pois chegou a atingir hoje R$ 1,77, R$ 1,78", acrescentou. O dólar comercial subiu 2,29% hoje e fechou a R$ 1,79.

RICARDO LEOPOLDO E ANNE WARTH, Agencia Estado

17 de dezembro de 2009 | 19h09

De acordo com o ministro, em algum momento os Estados Unidos vão subir os juros, que estão próximos de zero, e isso deverá levar a uma apreciação do dólar. O ministro ressaltou que, com a adoção do IOF, que colaborou para que o câmbio saísse de um patamar de R$ 1,70 para uma marca pouco superior a R$ 1,75, o governo conseguiu evitar prejuízos para o setor produtivo. "Estamos na trilha adequada. Eu não trabalho com nenhum patamar de câmbio", comentou.

Mantega disse que apenas avalia se o câmbio está valorizado ou subvalorizado. Questionado pela Agência Estado se a atual cotação de R$ 1,79 seria uma sobrevalorização ou depreciação, o ministro sorriu e comentou: "Nós estamos no caminho certo."

Tudo o que sabemos sobre:
câmbiodólarGuido MantegaIOF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.