Mantega cobra de Lamy debate sobre câmbio

GENEBRA

Jamil Chade, O Estado de S.Paulo

25 de abril de 2011 | 00h00

O ministro das Finanças, Guido Mantega, cobrou o diretor-geral da Organização Mundial do Comércio, Pascal Lamy, sobre o que será feito com a decisão do Brasil de acionar a OMC para lidar com a guerra cambial.

Fontes em Genebra confirmaram que o encontro entre os dois ocorreu em Washington, na semana passada, mas Lamy teria lavado as mãos e apontado que a pergunta deve ser feita aos países-membros da OMC.

Há uma semana, o Brasil apresentou uma proposta para introduzir a questão cambial na agenda da OMC. Pela proposta, a entidade faria um levantamento sobre o impacto no comércio das mudanças cambiais e promoveria um workshop, com apresentações de casos concretos.

O tema será tratado no dia 10 de maio, na reunião do comitê sobre assuntos financeiros da OMC. Mas o Estado revelou que China, Estados Unidos e Europa viram a proposta com hesitação, alertando que não seria a OMC quem solucionaria a crise da guerra das moedas.

Ao se encontrar com Lamy, Mantega teria sido direto. "O que você fará com nossa proposta?", questionou o ministro.

A diplomacia brasileira lançou uma ofensiva para ganhar apoio de outros governos, desfazer temores e explicar a proposta. O Itamaraty acredita, no entanto, que é possível que nenhuma decisão seja tomada no dia 10.

Mantega, na conversa com Lamy, admitiu que foi alertado pela diplomacia de que de nada serviria abrir uma disputa comercial em relação ao câmbio. Por meses, o ministro da Fazenda ameaçou acionar a OMC, mas foi convencido pelo Itamaraty a desistir da ideia e introduzir o assunto de forma discreta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.