Mantega: conselho não discutiu reajuste da Cide

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, informou hoje que um aumento na alíquota da Contribuição de Intervenção sobre o Domínio Econômico (Cide) sobre a comercialização de gasolina e diesel não foi discutido na reunião do Conselho de Administração da Petrobras, que terminou no início da tarde, em Brasília. Quando o ministro saía da reunião, jornalistas perguntaram-lhe se o reajuste da Cide havia sido discutido pelos conselheiros. Mantega, com um movimento da cabeça, respondeu que não. E evitou responder a outras perguntas, dizendo que estava atrasado para uma audiência que terá com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB).

RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

11 de maio de 2009 | 16h25

A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, que também saíram esta tarde da reunião, não falaram com os jornalistas que aguardavam em frente à sede da estatal em Brasília.

A Cide incidente sobre o litro da gasolina está em R$ 0,18, e a cobrança sobre o litro de diesel, em R$ 0,03 - desde maio de 2008. Na ocasião, os valores estavam mais altos - R$ 0,28 e R$ 0,07, respectivamente -, mas foram reduzidos pelo governo para compensar a alta nos preços dos combustíveis quando o petróleo havia subido para cerca de US$ 150,00 o barril.

Agora, com o preço do petróleo estabilizado um pouco acima de US$ 50,00, setores do governo estariam defendendo a recomposição integral do valor da Cide sobre a gasolina. O valor da contribuição sobre o diesel também poderia aumentar, mas com uma eventual redução no preço do litro desse combustível.

Tudo o que sabemos sobre:
combustíveisCidePetrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.